Chapter 07: In The Depts of Fear

Ir em baixo

Chapter 07: In The Depts of Fear

Mensagem por Vinyl Scratch em Ter Mar 20, 2012 3:44 pm

Continuação da aventura de nossos herois na mansão misteriosa.

Spoiler:

A escadaria começava a cada vez ficar mais escura, até ficar em um breu total, o coração de todos começavam a palpitar mais forte, e uma falta de ar os atingia

Daivat Tundra diz:
Para aonde vocês acham que esta escada leva?

Mark Skar diz:
não sei, mas só tem uma forma de descobrir

Aisla Adamina olha com cara de

Blade Storm notando a falta de ar.

Blade Storm diz:
Estranho, há algo de errado com esse local...

Aisla Adamina diz:
Não ser natural..

Gaius Luster diz:
Realmente esse local não é nada agradável, há algum jeito de você conseguir iluminar o local pequenino ?

Mark Skar diz:
bem, sem problemas

Mark Skar repete novamente o gesto de se apoiar nas patas traseiras e bate os 2 cascos 3 vezes rapidamente, gerando no seu casco esquerdo uma pequena chama

Logo esta se apaga, devida a falta de ar que o local gerava

Daivat Tundra diz:

Tudo bem, esta certo que estou acostumado com pouco ar, mas isso é ridículo!

Sons de metal sendo batidos contra algo solido era ouvido, vinha de todos lados, devido ao eco que as escadas geravam.

Blade Storm diz:
Esse som... não me parece nada amistoso.

Daivat Tundra rosna


Gaius Luster diz:

Esse som, me lembra algo como uma Refinaria

Gaius Luster diz:

melhor todos tomarem cuidado, quem seja que estiver fazendo esses sons pode não ser amistoso

Aisla Adamina diz:
A..eu ja querer dar um amplectaris..

Aisla Adamina diz:
Agradecida por avisar

Aisla Adamina falava com tom sarcástico

O ar ficava praticamente nulo, ficando insuportável respirar, mas não dando para voltar a tempo, assim que já estava deixando todos zonzos, uma luz bem fraca la embaixo se acende, e o ar aos poucos vai voltando.

Daivat Tundra diz:

Vejo uma luz lá em baixo.

Mark Skar diz:
cuidado, pode ser a luz da vida pós morte.

Daivat Tundra diz:
Duvido muito, pois consigo respirar normalmente agora.

Blade Storm diz:

Já ouviu falar da luz no fim do túnel? Bem espero que essa seja a nossa.

Blade Storm da um sorriso e vão em direção a luz.

Daivat Tundra diz:

Hunf...

Daivat Tundra segue logo atrás

Mark Skar diz:
por algum motivo, essa cena não me é estranha...

Mark Skar segue os dois

Assim que chegavam ao fim, viam um largo corredor, algumas velas nas paredes iluminavam o local, e um mal estar afetava todos presentes

Daivat Tundra diz:
Tenho um mal pressentimento...

Gaius Luster diz:
Você não é o único

Blade Storm diz:
Bem sabe oque dizem: Não há melhor caminho do que seguir em frente.

Blade Storm segue no corredor

Indo para frente a sensação aumentava, ate chegar a um ponto de se sentir observado, as chamas ficando mais baixas.

Daivat Tundra rosna novamente

Daivat Tundra diz:
Tem alguém nos olhando, tenho certeza disso.

Mark Skar diz:
espiritos, aparições, fantasmas, todos estão nos observando agora...

Blade Storm tira a espada da bainha.


Blade Storm diz:
Seja oque forem, se me atacarem não me importarei de revidar.

Daivat Tundra segura a Diamond Mace


Gaius Luster se concentra com uma visão periférica de todo o local tentando prever de onde pode vir um ataque

Gaius Luster diz:
Você não é o único

Mark Skar saca seu florete


Mark Skar diz:
tudo por auto defesa

As chamas se apagavam, no exato momento se via um rosto pouco visível devido a escuridão, tirando os olhos, que eram vermelhos e brilhantes
as expressão era de total terror, nos olhos se escorria um liquido preto, era o rosto de uma jovem fillie, alguns anos mais velhos que Alice somente, ela apenas observava, enquanto segurava choramingo que ecoavam na alma de todos ali

Daivat Tundra diz:
P-p-perturbador...

Gaius Luster diz:
Mas o que raios é essa coisa ??!!!!

Mark Skar sente um gélido arrepio na espinha, enquanto a imagem perturbadora penetra na sua mente, permanece imóvel devido ao medo

Blade Storm analisa a criatura esperando a hora certa.

Gaius Luster diz:

É, acho que teremos que lutar de novo, alguém está comigo nessa ?

Blade Storm diz:
You have my sword!

Aisla Adamina diz:

And my Blowpipe!

Daivat Tundra diz:
E minha maça

Mark Skar permanece em silencio devido ao medo

A filie começava a chegar perto, a cabeça de todos doía bastante, a visão ficando embaçada e corpo enfraquecido, ela parava praticamente a um palmo de todos

Daivat Tundra quase não aguentando de dor de cabeça

Daivat Tundra diz:
Q-q-quem é... v-você...

Aisla Adamina coloca as mãos nos ouvidos, se agachando

Aisla Adamina diz:

patas no caso -q

Blade Storm tenta segurar a dor de cabeça e se concentrar nos movimentos da criatura.

Gaius Luster tenta ignorar a dor olhando para a criatura
Mark Skar fecha os olhos com força e coloca o casco direito no olho direito, no que esta a cicatriz
Solta um grito absurdamente alto, sumindo e as luzes se acendendo novamente, mas apenas em uma parte da parede, que agora parecia ter algo rabiscado nesta


Daivat Tundra verifica o que está escrito

O dialeto era antigo, não usado a muito tempo, se sentia o cheiro de sangue fresco na parede
"fujam enquanto podem, não termine como nos"

Daivat Tundra diz:
O que vocês acham?

Mark Skar tenta restabelecer a respiração, enquanto sente seu coração bater muito rapidamente

Blade Storm diz:
Mas oque diabos isso significa?

Blade Storm olhando para as escritas.

Mark Skar diz:
eu...*arrrf* acho que deveríamos pegar o amuleto e...*arrrf* sair daqui o mais rápido possível

Daivat Tundra diz:
Eu digo que isso não deve ser muito bom para nós.

Daivat Tundra diz:
Enfim...

Daivat Tundra da um pigarro

Mark Skar diz:
pois eu afirmo! viu o quanto medonho era aquela criatura? temos sorte de estarmos vivos ainda!

Daivat Tundra diz:
De forma mais básica o possível, aqui está escrito para nós fugirmos daqui, para não terminar como "eles", seja lá quem sejam.

Gaius Luster diz:

Exatamente, e pequenino, não fique tão paranóico, esse não é o local nem a hora exata para isso.

Gaius Luster diz:
Controle seus nervos

Aisla Adamina diz:
Com espíritos tormentados não dever brincar.. melhor voltarmos.

Blade Storm diz:
Bem infelizmente não podemos sair daqui sem o amuleto.

Mark Skar diz:

COMO ASSIM!? essa casa, essas aparições...você que esta ficando paranóico

Daivat Tundra diz:

Digo para avançarmos...

Blade Storm diz:
Eu prometi que ajudaria a pequena encontrando o amuleto que esta aqui, só sairei dessa mansão com ele em meus cascos.

Aisla Adamina voltava um pouco, se ouvia barulhos de patas na escuridão que aisla adentrou

Aisla Adamina diz:

não pode ser

Aisla Adamina novamente os barulhos

Mark Skar diz:
eu não disse que teremos que fugir, e sim pararmos de brincadeiras! todos nos vimos com nossos próprios olhos o que aquelas criaturas são capazes!

Mark Skar diz isso com um olhar de medo e preocupação

Aisla Adamina voltava para a luz

Aisla Adamina diz:
de qualquer forma voltar não dar mais..

Gaius Luster diz:
Então é seguir em frente sem olhar para trás.

Blade Storm sorri.

Blade Storm diz:

Esta andando tanto tempo com a amiga listrada que esta ate rimando com ela.

As chamas voltavam a acender de todas as velas, Aisna caia para trás totalmente pasma olhando da onde vieram

Daivat Tundra olha para as velas

Daivat Tundra diz:
Mas o que?

Blade Storm diz:
Essa mansão esta cada vez mais estranha...

Gaius Luster diz:
Estranha ou não temos que achar o Amuleto antes de dar um fora daqui para nunca mais.

Mark Skar diz:
finalmente alguém chegou onde eu queria, precisaremos de uma fonte de luz e seguir em frente, quanto mais rápido, mais cedo sairemos.

Aonde estava antes as escadas, estava um pônei guerreiro estacado pelos peitos contra uma parede lisa, era bem recente, ainda saindo sangue das feridas e dos olhos que estavam perdidos, no pescoço dele tinha uma estranha chave.

Daivat Tundra diz:
Pobre... alma...

Daivat Tundra olhando para o guerreiro

Gaius Luster diz:
Só um palpite, precisamos daquela chave

Mark Skar diz:
certo, mas quem irá pegá-la?

Mark Skar diz:

esquece, deixa que eu mesmo pego...

Daivat Tundra diz:
Acho que não tenho escolha, não é?

Daivat Tundra diz:
... deixa pra lá.

Mark Skar se aproxima lentamente do cadáver, com medo

Mark Skar tenta pegar a chave que esta no pescoço do soldado

Mark Skar com um rápido pulo, pega a chave no pescoço do soldado morto

Mark Skar diz:
se o dono não der falta...agora sera nossa.

Mark Skar diz isso com tom estranho

Daivat Tundra diz:
Pois bem, já que obtemos a chave, que tal continuarmos?

As luzes dali apagavam, ficando só aonde a galera estava, a menina aparecendo novamente mas na frente dele, indo em sua direção e as luzes no caminho se apagando.

Daivat Tundra diz:
Você... de novo...

Asombração diz:
por...que? *a voz bem distorcida e tremula*

Gaius Luster diz:
De novo isso não...

Aisla Adamina rapidamente pega mark com a boca e sai correndo pelo corredor a frente

avatar
Vinyl Scratch
WOOB WOOB WOOB
WOOB WOOB WOOB

Mensagens : 65
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 26
Localização : São Paulo - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum